saramago

« se tens um coração de ferro, bom proveito. o meu fizeram-no de carne, e sangra todo o dia. »

15 de junho de 2012

doer



" Doeria mais tarde, quem sabe, de maneira insensata e ilusória como doem as perdas para sempre perdidas, e portanto irremediáveis, transformadas em memórias iguais pequenos paraísos-perdidos. Que talvez, pensava agora, nem tivessem sido tão paradisíacos assim. "